Galeria de imagens de Pimentinha

  • : Function ereg() is deprecated in /home/leopoldo/public_html/includes/file.inc on line 649.
  • : Function ereg() is deprecated in /home/leopoldo/public_html/includes/file.inc on line 649.
  • : Function ereg() is deprecated in /home/leopoldo/public_html/includes/file.inc on line 649.
  • : Function ereg() is deprecated in /home/leopoldo/public_html/includes/file.inc on line 649.
  • : Function ereg() is deprecated in /home/leopoldo/public_html/includes/file.inc on line 649.
  • : Function ereg() is deprecated in /home/leopoldo/public_html/includes/file.inc on line 649.
  • : Function ereg() is deprecated in /home/leopoldo/public_html/includes/file.inc on line 649.
  • : Function ereg() is deprecated in /home/leopoldo/public_html/includes/file.inc on line 649.
  • : Function ereg() is deprecated in /home/leopoldo/public_html/includes/file.inc on line 649.
  • : Function ereg() is deprecated in /home/leopoldo/public_html/includes/file.inc on line 649.
  • warning: Parameter 1 to theme_field() expected to be a reference, value given in /home/leopoldo/public_html/includes/theme.inc on line 171.
| Foto 1 de 1 |

Palhaço Pimentinha

Palhaço Pimentinha

Pimentinha


Ver fotos


De onde é este palhaço: Itu - SP - Brasil

O MESTRE WALTER SEYSSEL: PALHAÇO PIMENTINHA.

Walter Seyssel – Palhaço Pimentinha – trabalhou ao lado de seu tio Arrelia, no programa da TV Paulista, canal 5, no ano de 1953 e depois foi para a TV Record, onde trabalhou durante vários anos. Ele foi dos tempos de ouro do circo no Brasil. Inaugurou uma época na televisão. Pertenceu a uma família que durante quatro gerações, viveu sob a lona. Pimentinha conta que é sobrinho do Arrelia, por parte de pai e Arrelia é 20 anos mais velho que ele, que lhe deu o nome de Walter. Pode-se dizer que Pimentinha nasceu no circo e que é a quarta geração de sua família circense, que se originou na França e se espalhou por diversos paises da Europa e veio para o Brasil. Nasceu em juiz de fora, correu o Brasil e morou em Itu até sua morte em 1993.

A primeira apresentação ao público, de cara pintada, foi aos dois anos de idade. Foi a vez de alguém anunciar, do alto do picadeiro. “Respeitável público, aqui vem Espirro!” E ali entrou o novo palhaço fazendo as trapalhadas que o pai, Paulo Seyssel, o Palhaço Aleluia do circo que ainda esta vivo, havia lhe ensinado. Dali em diante, todos os dias, ele subia no picadeiro, fazia brincadeiras e palhaçadas e depois ia dormir no colo da primeira moça que não tivesse ensaiado ou se apresentado. Ela o levava ate o camarim e entregava-o a sua mãe, Dona Leontina, que na época desfiava o trapézio.
E assim, aos poucos e quase que automaticamente, foi ensaiado. Inicialmente umas cambalhotas, mais tarde vieram o salto mortal e toda espécie de aventura.

Na vida real Espirro chamado de Valtinho ou então de Pimenta ou Pimentinha, de tão levado que era. Não aceitava apanhar de ninguém e mexia em tudo, até com os animais ferozes. Com Arrelia, Pimentinha começou a trabalhar desde cedo, no Circo Seyssel, que já havia sido do seu avô. Valtinho e Arrelia já trabalharam juntos até que, em 1952, os Seyssel e a população de São Paulo entraram em pânico: o circo entrou em chamas, debaixo do Viaduto Santa Efigênia. Daí então sua vida se complicou. Já casado com Amélia Rocha, mulher circense, aramista, comediante e cantora; um filho e outro para nascer, Pimentinha teve que se virar. Com Piolim e Arrelia, foi para a TV Paulista, canal 5. No ano seguinte, em 1953, Arrelia começou a trabalhar na TV Record, onde numa sala pequena, montou seu circo. E ali, entrou também o mestre do riso Pimentinha. Trabalhou até o ano de 1976, desenvolvendo diversas atividades na TV, onde fez papéis dramáticos e dublagens, marcando presença com facilidade em interpretar sotaques de diversas línguas, principalmente a chinesa. De 1976 a 1980, ele atuou em programas infantis da TV Cultura, contracenando com Torresmo.

Walter Seyssel faleceu em 1993, aos 68 anos na cidade de Itu, São Paulo.

CARACTERIZAÇÃO DO PALHAÇO PIMENTINHA

Um estilo bastante sofisticado, considerando um cômico “clown” de perfil clássico para o mundo do circo; usava um cone na cabeça, uma camisa amarela (estilo convencional), vestia calça com suspensório. A sua maquiagem revelava o quanto este mestre entendia a arte de fazer rir e os seus traços do rosto revelavam a tradição dos “clowns” clássicos europeus.

Texto é parte integrante de um projeto de pesquisa desenvolvido em 1997 por Luiz Rodrigues Monteiro Júnior sobre a história dos palhaços brasileiros, publicado pelo DACH – Departamento de Artes e Ciências Humanas da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo.

MUNDOCLOWN
desde 10/12/2005
Alguns direitos reservados
sob Licença Creative Commons

resolução mínima recomendada para visualização:
1024x768